[ editar artigo]

Panorama do Mercado Financeiro - 1º de Abril de 2021

Panorama do Mercado Financeiro - 1º de Abril de 2021


Bom dia!

O Ibovespa interrompeu a série de quatro dias de alta seguidos e fechou o último pregão do mês de março no negativo. As preocupações dos investidores com o orçamento de 2021 fizeram com o que o índice não aproveitasse a alta dos mercados internacionais, com o anúncio do pacote de estímulos de US$ 3 trilhões para o setor de infraestrutura dos Estados Unidos. O país ainda continua muito afetado pela pandemia do coronavírus. Nessa quarta-feira, o país bateu o recorde de mortes mais uma vez, fechando próximo a 4mil mortos por dia. O consolo vem com a notícia de que a vacina da Janssen foi enfim aprovada para uso emergencial, sendo mais uma arma no combate da pandemia. Com esse cenário, o Ibovespa fechou com queda de 0,18%, a 116.633 pontos.
O dólar fechou o pregão em forte queda, a maior queda das últimas três semanas, com o desmonte de uma série de posições sendo o principal fator para a queda. Não tivemos nenhuma notícia extremamente relevante para que a queda fosse tão alta, parece que a formação da Ptax, o fim do mês e os ajustes do exterior foram os principais motivos para o movimento baixista do dia. O dólar fechou com queda de 2,23%, vendido a R$ 5,6304.
No mercado americano, os índices S&P 500 e Nasdaq fecharam no campo positivo, impulsionados principalmente pelos ganhos do setor de tecnologia. No lado negativo, o índice Dow Jones fechou com leve queda. O anúncio do pacote de US$ 3 trilhões para o setor de infraestrutura gerou dois movimentos diversos no mercado americano. Um lado dos investidores festeja o pacote e está otimista de que ele será mais um ingrediente para a retomada da economia americana. Por outro lado, alguns investidores estão receosos que o pacote trará uma pressão inflacionária ainda maior para o longo prazo, fator que está sendo evidenciado com o aumento do rendimento dos títulos públicos do Tesouro americano. No lado positivo, o índice S&P fechou mais uma vez na sua máxima histórica, com alta de 0,37%, o índice Nasdaq subiu 1,54%. No lado negativo, o índice Dow Jones fechou com queda de 0,26%.
As bolsas europeias fecharam sem direção única no pregão. A divulgação de indicadores econômicos aquém do projetado e a espera pelo pacote americano deram o ritmo das bolsas no pregão. Durante o pregão, os índices de inflação se mostraram acima do esperado pelo mercado. Por outro lado, a PIB do Reino Unido cresceu mais que o consenso, gerando otimismo no mercado inglês. Uma comissão alemã pediu ao governo que suspendesse o uso da vacina da AstraZeneca em pessoas com menos de 60 anos e gerou um pequeno temor no país, fazendo com que o índice alemão fechasse na estabilidade. Em Londres, a bolsa fechou com queda de 0,86%. A bolsa de Milão fechou em alta de 0,05%, Paris caiu 0,34% e Madrid fechou com queda de 0,18%.
No calendário econômico desta quinta-feira, temos a divulgação da produção industrial como grande notícia no Brasil. Nos Estados Unidos, o número de pedidos iniciais por seguro-desemprego, o PMI industrial e a reunião da OPEP são os principais eventos no dia. Na Europa, a divulgação do PMI industrial da zona do Euro e da Alemanha são as notícias com maior relevância do dia.
Agora pela manhã, o índice S&P 500 futuro opera com alta de 0,28%. Na Europa, as bolsas operam no campo positivo, com destaque para o índice de Londres (alta de 0,44%) e Frankfurt (alta de 0,37%).

Investy Academy
Ler conteúdo completo
Indicados para você