[ editar artigo]

Panorama do Mercado Financeiro - 18 de Março de 2021

Panorama do Mercado Financeiro - 18 de Março de 2021

Bom dia!

 

O Ibovespa fechou em forte alta no pregão dessa quarta-feira e fechou na sua máxima em quase um mês. A alta foi principalmente causada pelo otimismo de Nova York, com o Fed melhorando a projeção de crescimento econômico dos Estados Unidos deste ano. O Fed também repetiu a promessa de manter a taxa de juros americana próxima a zero, fato que animou os mercados. Além disso, os investidores aguardavam a decisão do Copom, que saiu após o pregão. O Ibovespa fechou com forte alta de 2,05% a 116.359 pontos. Após o pregão, o Copom elevou em 0,75 pontos percentuais a taxa Selic, a primeira elevação desde 2015. Essa elevação tende a ser recebida de forma positiva pelo mercado, pois sinaliza que o Banco Central está atento ao movimento inflacionário que está se formando no país.

Também impactado pela decisão do Fed e aguardando o Bacen, o dólar fechou a quarta-feira em queda. Antes da decisão do Fed, a divisa operava em alta causada pelo aumento da rentabilidade dos Treasuries. Após a reunião do Fed, a moeda entrou em queda até o fim do pregão. A declaração de Jerome Powell de que a inflação é temporária e que não afetará a política monetária americana soou boa aos investidores, causando a alta da bolsa e queda do dólar. O dólar fechou vendido a R$ 5,5861, uma queda de 0,59%.

As bolsas americanas fecharam em alta no pregão, após a coletiva do presidente do Fed, Jerome Powell. Após a declaração da melhora na perspectiva econômica dos Estados Unidos e que o processo inflacionário atual é temporário, os índices americanos passaram a trabalhar no campo positivo, inclusive renovando máxima história, no caso do S&P 500 e do Dow Jones. O índice Dow Jones fechou com alta de 0,58%, o S&P 500 subiu 0,29% e o índice Nasdaq fechou com alta de 0,40%.

As bolsas europeias fecharam em direção única, com os investidores em compasso de espera, na expectativa da decisão do Fed. A coronavírus continua sendo o principal fator de preocupação no continente, com alguns países temendo agora uma terceira onda do vírus e já elaborando novas restrições. A decisão do Fed animou o mercado europeu, mas alguns indicadores do continente fizeram algumas bolsas fecharem no negativo. A bolsa de Londres fechou com queda de 0,60%, preocupada com a alta da inflação projetada pelo Banco da Inglaterra. Na Alemanha, a bolsa de Frankfurt registrou alta de 0,27%. Milão subiu 0,08% e Madrid fechou com queda de 0,67%.

No calendário econômico de hoje, não temos notícias relevantes no país. Entretanto, o mercado irá repercutir a decisão do Copom de aumentar a taxa Selic de 2,00% para 2,75%, que saiu após o fechamento da Bolsa. Nos Estados Unidos, a divulgação dos pedidos iniciais por seguro-desemprego e do índice de atividade industrial são as principais notícias do dia. Na Europa, a divulgação da balança comercial e discurso da presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, são os principais eventos do dia.

Agora pela manhã, o futuro do S&P 500 opera no campo negativo, realizando lucros, com uma queda de 0,47%. Na Europa, as bolsas operam no campo positivo, repercutindo ainda a decisão do Fed. Destaque para a bolsa de Frankfurt, com alta de 1,17%. Além disso, a bolsa de Lisboa opera com alta de 0,47%, Madrid sobe 0,15% e Londres opera na estabilidade.

Investy Academy
Ler conteúdo completo
Indicados para você